Resenha - Joana e Maurício



TÍTULO: Joana e Maurício
AUTOR (A): Igraínne Marques
EDITORA: Buriti
PÁGINAS: 160



*Disponibilizado em parceria com a autora*

Sinopse:

A história de um amor perdido no tempo, um amor que, sim, pode ser medido em palavras. Joana e Maurício são duas pessoas pertencentes a realidades sociais distintas, inseridas no meio de uma guerra que jamais é datada. A única semelhança entre eles é a idolatria pelo poema e, diante disso, os dois, ainda jovens, começam a trocar cartas. Cartas que mais parecem desafios, mas que com o tempo se tornam a narração perfeita para aqueles que nunca souberam conversar como a sociedade exige. Joana é a mulher que pode ser definida como a incógnita: ora feminista, ora conformada, talvez ela seja a clássica personificação da bipolaridade feminina. Maurício, por outro lado, é o idealista cego que desiste inúmeras vezes pelo caminho – só para perceber que é covarde demais para, simplesmente, desistir.



Obviamente, como já diz o título, o livro conta a estória de Joana e Maurício (Jura, Mariana?). De partida temos uma carta de Maurício que dá início a toda a trama. Um livro escrito em formato de cartas, confidencias trocadas por estes dois personagens, que durante uma época violenta, encontram no outro uma válvula de escape, um caminho, um confessionário.
Um romance, porém um romance incomum, uma estória bem construída, onde através de cartas encontramos relatos de ambos. Em Joana e Maurício somos levados a uma época onde a sociedade não só impõe regras e costumes, como também aprisiona, maltrata e interrompe sonhos e objetivos. E mesmo com todos os riscos e o peso dos sobrenomes, Maurício decide e inicia esta romance.

"O silêncio sempre representará a indiferença mais bem construída existente. E indiferença é mais difícil de suportar do o ofender de meia dúzia de xingamentos infantis."

Com uma linguagem bem diferente do nosso usual, Joana e Maurício tem uma escrita formal, repleta e completa de metalinguagem e metáforas. Dificilmente encontramos frases diretas, as formas indiretas são sempre presentes, o que o enriqueceu ainda mais.
Maurício, um estudante, idealista, que através de palavras expressa a inconstância de seu ser. Joana, pertencente a uma classe social totalmente oposta, inconformada com os dogmas que a prendem por ser mulher.




"E eu estou bem, eu me encontrei também, é uma coisa dúbia, louca, visceral, você não entenderia. Deveríamos todos correr esse risco às vezes, parar de riscarmos a nós mesmos."
Capa e título referem-se fielmente aos elementos contidos na narrativa. Com apenas 160 páginas, mas com um conteúdo vasto e de qualidade.
Ao lê-lo senti diversas emoções, ora aquela boa e velha confusão e angústia por desejar que as cartas chegassem logo haha) ora encantamento e paixão por essas confissões maravilhosas.

"O jogo de xadrez mais interessante que existe é aquele no qual nunca há um xeque-mate."


RECOMENDAÇÃO:

Joana e Maurício é encantador, essa palavras realmente descreve o livro. Todas as minhas expectativas foram superadas. Com quotes maravilhosos, quase marquei o livro inteiro, essa forma de narrativa me cativou sobremaneira. Sempre me pegava angustiada, querendo resolver os dilemas dos personagens. Me envolvi, apaixonei e suspirei com esse livro.

"A prisão das palavras é a pior cela que há nesse mundo. Não ter voz é não ter chão."

Ps: Aproveito também para agradecer mais uma vez a autora Igraínne Marques, sua confiança foi de total importância. muito obrigada mesmo!
E para você que leu e gostaria de adquirir o livro, segue o link para que possa saber mais :)

http://editoraburiti.com.br/joana-e-mauricio/




Resenha - Joana e Maurício Resenha - Joana e Maurício Reviewed by Mariana Cordeiro on 16:15 Rating: 5

Nenhum comentário:

Romário Bispo